Passando o rodo em Berlim

fevereiro 17, 2008

Dez anos depois de Central do Brasil, Tropa de Elite leva o Urso de Ouro em Berlim. O filme concorria com Sangue Negro, de Paul Thomas Anderson, e foi recebido com frieza por público e crítica do festival, em parte devido à exibição da película com legendas em alemão e tradução simultânea para o inglês feita por uma mulher. Mas isso não impediu que o júri, presidido pelo cineasta grego Costa-Gravas, desse o prêmio máximo ao filme.

padilha.jpg

Mas a pergunta é: se você vai receber um prêmio num dos maiores festivais de cinema do mundo, por que não tirar a toquinha, mano?

Além de Tropa, Café com Leite, o curta que eu já tinha falado aqui, levou o Urso de Cristal de melhor curta-metragem da mostra Generation, cujo júri é composto por adolescentes. O curta Tá…, de Felipe Scholl, também recebeu o Teddy Bear de melhor curta-metragem, prêmio dado aos filmes de conteúdo gay que estejam participando em qualquer mostra do festival.

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: