Marley & eu

janeiro 11, 2009

Marley & Eu estreou nos cinemas do mundo e anda faturando geral. Tentei ler o livro e achei uma preguiça sem fim; queria ver o filme, mas já sei o final.

marley

*tirado do Quem Mexeu no meu iPod?

Anúncios

É Proibido Fumar

janeiro 4, 2009

O novo ano começa e surgem com ele as primeiras expectativas cinematográficas para 2009.

Uma das estréias mais aguardadas, pelo menos por este que vos escreve, é É Proibido Fumar, segundo longa-metragem de Anna Muylaerte, que havia dirigido anteriormente Durval Discos.

Neste novo filme, a diretora e roteirista volta a retratar o universo paulistano e retoma uma espécie de “classe média artística decadente”. Se em Durval, o personagem central era um resistente vendedor de vinis que se recusava a entrar na era do CD, É Proibido coloca em cena Baby (Glória Pires), uma professora de violão “empoeirada”, fumante inveterada, às voltas com suas plantas e  sua solidão. Porém, as coisas para ela começam a mudar quando ela se apaixona pelo vizinho (Paulo Miklos), um cantor de churrascaria.

Dá uma olhada no promo abaixo, que tá bem legal:

E, sabe como é, precisando dos nossos préstimos, tamos aí…

Caro leitor,
pode ser que a vida até pareça uma festa, mas tenho certeza de que não é – nem a sua e muito menos a minha.

Porém, A Vida Até Parece Uma Festa é o subtítulo do documentário dos Titãs, dirigido por Branco Mello e Oscar Rodrigues Alves, ambos estreantes na direção de longas-metragens – o primeiro, você já deve saber, é integrante da banda que já está na estrada há mais de 26 anos; o segundo, diretor de alguns dos videoclipes dos próprios Titãs e de outros artistas.

Juntos no projeto há cerca de 6 anos, tentando dar forma e coesão a um extenso material de arquivo televisivo e imagens de bastidores captadas por Branco desde 1986, eles agora preparam o lançamento do filme, que estréia nos cinemas em 16 de janeiro.

O filme foi exibido recentemente no Festival do Rio e na Mostra de Cinema de São Paulo e apresenta em cerca de 90 minutos 42 canções que por si só contam a história do grupo paulista, em cenas preciosas como a primeira aparição na TV em um programa de calouros de 1980 na TV Tupi, quando ainda se chamavam Trio Mamão, que trazia como um dos jurados o já decadente Wilson Simonal, além das apresentações no Cassino do Chacrinha, Clube do Bolinha, sofá da Hebe, programa Barros de Alencar, o encontro com o presidente Jânio Quadros em entrevista a Marília Gabriela e outras pérolas raras.

Se você tem mais de 30, vale ver para lembrar de um certo momento da vida. Se você tem menos de 30, vale ver para perceber que a banda é muito mais do que Epitáfio e regravações de Roberto Carlos.

Mais do que um filme, o documentário musical é o retrato de uma época e de uma geração.

Agora você sabe  também o que ando fazendo e, em parte, porque este blog tem tido menos atualizações.

E hoje à noite rola sessão mais do que especial no Cine Odeon, no Rio de Janeiro.

Alinhado com diversos países europeus, e passando a perna nos EUA e nos ‘hermanos’ latino-americanos, o cinema abre as portas para receber Arctic Monkeys at the Apollo, filme que registra os bastidores e um dos shows da banda em Manchester durante turnê de 2007.  Como espécie de campanha de marketing para o lançamento do filme em dvd no início de novembro, a data de hoje será a única possibilidade de poder conferir as 20 músicas do setlist do filme em tela grande e som 5.1- no Brasil e no mundo.

Interessou? Olha só:

Depois desta data, a MovieMobz, distribuidora do filme, disponibiliza o filme em seu catálogo para que os internautas se organizem entre si e marquem uma sessão no cinema de preferência. Dá uma olhada no site deles, pois o sistema é bem interessante – espécie de programação de cinema interativa.

Maratona de cinema

setembro 15, 2008

Segundo semestre no Brasil é mesmo uma maratona. Para compensar a monotonia que é viver no país tropical na primeira metade do ano, o segundo semestre chega cheio de atrações que prometem te deixar completamente falido e sem tempo. Os shows e festivais de música acontecem um atrás do outro – Orloff Five, Invasão Sueca, Skol Beats, Tim Festival, Planeta Terra, REM, Madonna, Boy George, Kyle Minogue, Yelle e mais uma infinidade de atrações.

E o mundo do cinema não fica muito atrás. Depois de anunciados há algumas semanas os selecionados brasileiros para o Festival do Rio, primeira grande maratona cinéfila do semestre, o evento acaba de anunciar as atrações gringas a serem exibidas na Cidade Maravilhosa entre 25 de setembro e 9 de outubro.

Divididos em seis mostras temáticas, o festival traz os destaques da produção mundial do último ano e filmes que deram o que falar nos festivais em que foram exibidos mundo afora. Entre eles estão, Vicky Cristina Barcelona, novo longa-metragem de Woody Allen, que traz Penélope Cruz, Scarlett Johansson e Javier Barden em um triângulo amoroso rodado na Espanha; Birdwatchers, co-produção Brasil-Itália, filmado inteiramente no Mato Grosso do Sul, sobre a questão indígena brasileira, e destaque no último Festival de Veneza; Synecdoche, New York, estréia na direção do multi-premiado roteirista Charlie Kaufman; RocknRolla, novo longa de Guy Ritchie; Filth & Wisdom e I Am Beacause We Are, filmes da esposa de Guy Ritchie, a mulher que me fez passar 12 horas numa fila para compar ingresso para seu show; Derek, de Isaac Julien, sobre o cineasta britânico Derek Jarman, morto em 1994; Burn After Reading, novo dos irmãos Coen, filme que abriu o último Festival de Veneza; Youth Without Youth, novo de Francis Ford Coppola, primeiro longa depois de um tempão de recesso; La Mujer Sin Cabeza, novo da diretora argentina Lucrécia Martel, destaque no Festival de Cannes 2008; e muitas, muitas outras coisas. Ufa!

Samantha Morton e Philip Seymour Hoffman em Synecdoche, New York

Lista completa aqui.

Achou bastante? Então guarde seu fôlego, Michael Phelps, porque a Mostra de Cinema de São Paulo vem aí e promete nos brindar com muito mais pérolas. Pra começar, o evento paulista acaba de divulgar seu homenageado do ano – Ingmar Bergman. Olha só.

Estréias da semana

setembro 6, 2008

Um pouco atrasado, mas tamos aí…

E estreou ontem nos cinemas brasileiros, Linha de Passe, novo filme de Walter Salles e Daniela Thomas. O longa conta a história de uma mãe solteira que trabalha como empregada doméstica para sustentar seus quatro filhos, enquanto carrega mais um na barriga.

Ambientado na cidade de São Paulo, o filme se apresenta como um retrato realista dos sonhos e frustrações de quatro jovens da periferia paulistana, cuja narrativa está reduzida ao mínimo, mais preocupada em acompanhar o dia-a-dia e frustrações desta família, do que contar uma história tradicional, com reviravoltas e superações. Apesar do ritmo vagaroso e por vezes entediante, o drama está na pulsação dos atores, em suas atuações magistrais e na direção experiente da dupla Salles-Thomas.

A atuação de Sandra Corveloni, premiada com a Palma de Ouro de Melhor Atriz no Festival de Cannes, é bastante convincente e passa ao longe de qualquer clichê. Mas, devo dizer, a moça fica pequinininha ao lado dos quatro rapazes que a rodeiam na história, entre eles o estreante Kaike de Jesus Santos, que, com não mais de dez anos, rouba absolutamente todas as cenas em que aparece.

Outra estréia bacana, para quem mora em São Paulo, é o documentário O Aborto dos Outros, de Carla Gallo. O filme acompanha algumas mulheres que decidem fazer abortos, legal ou ilegalmente, e propõe uma discussão sobre o direito da mulher sobre o próprio corpo e as imbricações legais da questão.

Veja o trailer:

Veneza

agosto 28, 2008

E anteontem começou o Festival de Veneza, aberto com exibição de Burn After Reading dos irmãos Coen. E tá todo mundo lá, pra variar – Brad Pitt, George Clooney, Valentino – objeto de documentário sobre seus 45 anos de carreira -, Alice Braga, Zé do Caixão e todo o povo aqui da firma.

Agora, diz aí, o Wim Wenders, presidente do júri do festival, não tá a cara da Contanza Pascolato: